Comunicar Esperança e Confiança 

Este domingo da Ascensão do Senhor, a Igreja celebra o 51 Dia Mundial das Comunicações Sociais com o tema, escolhido pelo papa Francisco: “Não tenhas medo, que eu estou contigo’ (ls 43,5) Comunicar esperança e confiança no nosso tempo A mensagem do papa para esta ocasião considera que uma das maneiras de contar a história do mundo é por intermédio das informações divulgadas pelos diversos veiculos de comunicação. Ressalta, então, como é importante narrar essa história segundo a lógica da boa no- ticia. Isto não significa, evidentemente, negar os acontecimentos trágicos e tristes. A questão que preocupa, atualmente, é o predominio de noticias negativas que provocam, no individuo e na sociedade, sensação de insegurança e De fato, são inúmeras as notícias com teor negativo e com forte dose de sensacionalismo que nos chegam diariamente por meio de jornais, de revistas, da televisão, do rádio e da internet.
Tais informações indicam que o mal é, infelizmente, espetacular e ruidoso que o bem e, por conseguinte, mais vendável, mais comercial, mais crativo para os meios de comunicação.
 Cabe a nós, cristãos, escutar a voz de Jesus ressuscitado, que nos envia a anunciar, sem medo, as “boas notícias”oriundas de suas palavras e de seus gestos. Faz parte de nossa missão difundir também informações referentes às iniciativas audaciosas, que encontramos na sociedade, a favor da justiça, da paz e da solidariedade e a outras ações que contribuem para a construção de um mundo mais humano e fraterno. Nessa perspectiva será possivel suscitar, nosso tempo a confiança e a esperança que Jesus nos veio trazer. 
Pe. Valdir José de Castro, ssp

Presentes personalizados

Minha mãe tinha uma amiga chamada Aninha. Particularmente, não me lembro dela, mas me lembro que era muito querida lá em casa.

Aninha pintava porcelana e presenteou-nos ( os três filhos de Lilia) com o conjunto de pratos e xícara. Este mês desembalei, lavai e fotografei para publicar aqui.

Talvez Ana Mercedes minha tia, saiba detalhes sobre ela…

Prato raso, e eu acho que sou eu e Thais.

Ganhei no meu aniversário de 5( cinco!) anos…

IMG_3899

Aqui, eu sozinha, penso…IMG_3898

O conjunto. Não sei onde estão meus talheres de prata… Não era fraca não…rs

Thais, cadê os seus?

IMG_3897

 

 

 

 

Para reflexão 

Este lindo texto merece uma reflexão Para refletirmos: (texto extraído da internet – desconheço o autor) 
Um pai de família matou sua mulher a facadas e jogou seus dois filhos da sacada antes de pular e se matar também, no Rio de Janeiro.

Outro pai de família pulou do 17º andar do fórum em SP, com seu filho no colo.
Na carta de despedida dos dois, eles falavam do desespero por não conseguirem mais sustentar a família com dignidade por terem trocado de emprego e diminuído a qualidade de vida.
Até quando vamos viver pelo trabalho e pelo dinheiro? Quantas avós conhecemos que tiveram seus 12 filhos e, com muito suor, conseguiram dar uma vida digna para todos eles? Por que essa loucura de ter o melhor carro, a melhor casa e as melhores viagens?

É de assustar como em tão pouco tempo, as prioridades e virtudes foram trocadas de uma forma tão violenta. 
Antigamente a gente via aquela foto de nossos pais,tios, na praia, com uma sunga de envergonhar qualquer um. Levávamos lanche de casa, pq não tínhamos dinheiro. Os adultos riam e as crianças faziam uma algazarra. Tínhamos pouco dinheiro, mas havia ternura entre nós. Éramos felizes. Não importava o local do passeio, mas a alegria da aventura. Hoje vemos a família toda fazendo um tour pela Europa, mas com celular na mão o tempo todo. Todos sempre preocupados em registrar em fotos o momento, em vez de aproveitar de verdade. A cada dia vemos a ideia de família sendo esquecida e entrando a ideia de indivíduo.
As vezes a gente escreve esses “textões” aqui para desabafar, mas acho que hoje não é um desabafo e sim um grito de ajuda. Por medo de que algo tão horrível aconteça com algum conhecido, com algum familiar. Vamos dar um tempo para nós mesmos, desacelerar o corpo e alma.  

A vida é mais que dinheiro. A vida são os breves momentos que passamos com quem amamos.

E o resto é só resto.❤

Vejam a mensagem de uma Campanha publicitária do Citibank espalhada pela cidade de São Paulo através de Outdoors:

👉”Crie filhos em vez de herdeiros”.

👉”Dinheiro só chama dinheiro, não chama para um cineminha, nem para tomar um sorvete.”

👉”Não deixe que o trabalho sobre sua mesa tampe a vista da janela.”

👉”Não é justo fazer declarações anuais ao Fisco e nenhuma para quem você ama.”

👉”Para cada almoço de negócios, faça um jantar à luz de velas.”

👉”Por que as semanas demoram tanto e os anos passam tão rapidinho?”

👉”Quantas reuniões foram mesmo esta semana? Reúna os amigos.”

👉”Trabalhe, trabalhe, trabalhe. Mas não se esqueça, vírgulas significam pausas…”

👉”…e quem sabe assim você seja promovido a melhor ( amigo / pai / mãe / filho / filha / namorada / namorado / marido / esposa / irmão / irmã.. etc.) do mundo!”

👉”Você pode dar uma festa sem dinheiro. Mas não sem amigos.”

👉” Precisamos deixar filhos melhores para o mundo e não um mundo melhor para nossos filhos”

E para terminar: 

👉”Não eduque seu filho para ser rico, eduque-o para ser feliz. Assim, ele saberá o valor das coisas e não o seu preço.”

Crowdfunding ou, financiamento coletivo. 

Não, não é mensal.

A REVO Coffee.Co , (REVO Coffee.co) está prontinha para iniciar seu destino.
Só falta um pouquinho. Até hoje, já conseguimos 71% do capital necessário, com 136 benfeitores)

A reforma da casa, as adaptações necessárias e obrigatórias, prontas.

Alvará de funcionamento, tudo regularizado para colocarem as mãos na massa.

Sob a plataforma benfeitoria.com, (https://www.facebook.com/benfeitoria/?ref=ts&fref=ts) responsável pelo projeto e realização do financiamento coletivo, o chamado crowdfunding, a REVO submeteu seu projeto, lembrando que para que esse financiamento seja aprovado e trabalhado pela plataforma, obrigatório ter como um dos pilares da proposta, o bem social para poder ser aceita e lançada. E a REVO Coffee.Co tem como objetivo a torrefação de café orgânico, produzido por pequenos produtores, para venda direta para o consumidor.

Tenho compartilhado a idéia do financiamento, desde seu lançamento. Conheço os revolucionários, o local, já provei vários cafés, de várias torras. Já contribuí.

Pensei que fosse mais persuasiva, mas descobri que não sou. Ao menos falando, não sou.

Então resolvi escrever, quem sabe assim coloco em linhas pontuais o que significa a REVO Coffee.Co, o que é afinal o tal de crowdfunding.

Ja participei de crowdfunding cujo objetivo foi alcançado, ou seja, o financiamento do livro de fotografias, O melhor de Santos, cujo conteúdo, as melhores fotos de Santos, por seus melhores fotógrafos. E, com ele, entendi o funcionamento, participei, o projeto deu certo, recebi minha recompensa. Tenho o livro.


Já participei de um Crowdfunding que não saiu, a gravação de um CD, porque não conseguiu atingir o valor necessário. Recebi meu dinheiro de volta.

Desta forma, como ajudei e vi resultados e não existe prejuízo, fico ansiosa por não conseguir sensibilizar os meus amigos e conhecidos, motivando-os para se entusiasmarem e investirem no projeto aqui apresentado.

O financiamento coletivo é uma modalidade nova. Como toda coisa nova ela pode não inspirar confiança e não tomamos a atitude esperada.

Pode ser pelo receio de usar cartão de crédito na internet, receio de estar no centro de uma enganação, receio de entrarmos numa furada e deixamos pra lá.

O fato de deixar pra lá tem várias conotações também:

“eu não quero perder tempo lendo”

“não quero usar o meu dinheiro num projeto que não tem nada comigo.”

“Não gosto ou não tomo café…”

“porque eu tenho que dar dinheiro, se ninguém me ajuda quando eu preciso ?”

“Eu pago minhas contas sozinho, quando eu preciso de dinheiro eu vou ao banco.”

” Eu não uso cartão de crédito”

“eu peço pra minha família, para meus parentes ricos, pro meu sogro….”

“alguém quer montar um negócio bate a minha porta, pedindo meu dinheiro ?  Tenha a santa paciência! ”

Bom, em primeira análise acho que esse é o pensamento de quem é convidado, convocado. É compreensível também.

Mas, vou dizer pra vocês, à partir de quem está aguardando esse dinheiro pra seguir a sua vida:

Financiamento coletivo segue as exigências, cronograma, etapas estabelecidas previamente pelo site, que monta a estrutura para se arrecadar o dinheiro necessário para se conseguir o objetivo, dando-lhe credibilidade.

Neste caso, a compra do café orgânico, diretamente do pequeno produtor e sua venda diretamente ao consumidor.

A compra da matéria-prima, o café orgânico é o que falta para que a REVO Coffee.Co possa trabalhar.

Não se trata de um sonho infantil, sem estudo, sem preparo.

Quatro jovens preocupados com alimentação saúde bem-estar e trabalho estão mobilizados para apresentar para a população santista, o primeiro café orgânico torrado e vendido aqui na baixada, diretamente do produtor.

O que me espanta é que o projeto não atingiu, ainda, s.m.j., as pessoas com a vitalidade que ele tem. Causa um certo desânimo, ver o que cada um de nós tem mais de 1000 amigos que podem, tenho certeza, dispor de ao menos R$15 para que o projeto saia do papel e se transforme em realidade, mas isso não acontece….

Várias perguntas que são feitas nesses projetos demonstram que não estão ainda familiarizados com essa modalidade, então por ordem:

Nao. não é mensal.

O valor que você se dispuser a contribuir, vai de R$15,00, à R$ 4500,00.

Para todo valor, existe sua recompensa, que está perfeitamente descrita e detalhada ao lado de cada sugestão.

Por exemplo, no valor de R$ 45,00 a recompensa consiste em uma caneca design exclusivo Revo, workshop on-line, grupo exclusivo do facebook. E assim, progressivamente entre valores e recompensas, (60,00, 80,00, 90,00 etc..) A contribuição é uma vez só, não impedindo que aquele que já contribuiu de investir outra vez se, e, quando tiver disponibilidade financeira. A REVO está aberta para ser conhecida, conforme várias chamadas no facebook, para degustação do café torrado e distribuído ali. A contribuição efetuada por meio de cartão de crédito, facilita a vida de quem está contribuindo. O site é seguro e o  uso dos cartões de crédito, em sites da internet, são viáveis e possíveis. Os que tiverem receio de utilizar o cartão de crédito podem de alguma maneira entrar em contato pra fazer esse investimento de outra forma que melhor lhes convier. A contribuição menor, é de  R$ 15,00, e não paga um hambúrguer do McDonald’s.

Ninguém deve se sentir obrigado a contribuir é óbvio, mas poderiam conhecer a REVO e se entusiasmar como eu e, batalhar novos investidores. Quem sabe não existem outros projetos precisando de um crowdfunding?

Como em toda situação humana, bastaria um exercício simples que é se colocar no lugar do outro. E se fosse meu filho querendo apenas trabalhar? É trabalho. Não é passeio.

Então queria que, quem chegou até aqui, conforme os textos do Facebook , que entrasse no site da REVO, que lesse, que se motivasse e contribuísse para que o projeto dos quatro saia do papel. Não é necessário investir mais do que aqueles R$15,00. Compartilhe. Falta pouco.

Para reflexão.

Recordar que a morte é o fim de nossa jornada terrena nos leva a repensar as coisas pelas quais lutamos hoje. O que afinal apresentaremos a Deus, de nossas misérias e conquistas neste mundo, quando estivermos face à face? O que Ele resgatará de nossa vida pouco que seja para completar sua Graça? Como devolveremos a Deus a vida que recebemos? Cultivada e frutificada com atitudes como a solidariedade, a fraternidade, a partilha, a misericórdia, o amor? Ou desperdiçada no egoísmo, na ilusória busca de riquezas e bens?
Quantos vivem em função do dinheiro, tudo orientando para a satisfação dos próprios desejos…. O ensinamento de Jesus, porém, passa longe da ganância e do desejo de riquezas e poder. É verdade que ninguém vive sem dinheiro, e lutar por uma vida melhor e mais digna é fundamental. Mas viver indiferente à miséria alheia, na ilusão de querer somente acumular riquezas, considerando-as o essencial é deixar passar a única oportunidade que temos para dar sentido à vida, nosso único bem verdadeiro, Vale recordar o papa Francisco, que na exortação Evangelii Gaudium (n. 189) fala da solidariedade, a atitude contrária à ganância do homem rico da parábola: “A palavra ‘solidariedade’ significa muito mais do que alguns atos esporádicos de generosidade; supõe a criação de uma nova mentalidade que pense em termos de comunidade, de prioridade da vida de todos sobre a apropriação dos bens por parte de alguns” .
Jesus convida a acumular tesouros para Deus. E só é rico para Deus quem ajunta os valores que o Mestre ensinou. Certa vez ouvi que uma pessoa era tão pobre, tão pobre, que a única coisa que tinha era muito dinheiro. A felicidade plena que desejamos ter em Deus, na eternidade, começa aqui, na alegria de construir com os outros algo de bom e duradouro. Porque, na lógica de Deus, pobre mesmo é quem não consegue partilhar. Pe. Paulo Bazaglia, ssp