Para reflexão.

Recordar que a morte é o fim de nossa jornada terrena nos leva a repensar as coisas pelas quais lutamos hoje. O que afinal apresentaremos a Deus, de nossas misérias e conquistas neste mundo, quando estivermos face à face? O que Ele resgatará de nossa vida pouco que seja para completar sua Graça? Como devolveremos a Deus a vida que recebemos? Cultivada e frutificada com atitudes como a solidariedade, a fraternidade, a partilha, a misericórdia, o amor? Ou desperdiçada no egoísmo, na ilusória busca de riquezas e bens?
Quantos vivem em função do dinheiro, tudo orientando para a satisfação dos próprios desejos…. O ensinamento de Jesus, porém, passa longe da ganância e do desejo de riquezas e poder. É verdade que ninguém vive sem dinheiro, e lutar por uma vida melhor e mais digna é fundamental. Mas viver indiferente à miséria alheia, na ilusão de querer somente acumular riquezas, considerando-as o essencial é deixar passar a única oportunidade que temos para dar sentido à vida, nosso único bem verdadeiro, Vale recordar o papa Francisco, que na exortação Evangelii Gaudium (n. 189) fala da solidariedade, a atitude contrária à ganância do homem rico da parábola: “A palavra ‘solidariedade’ significa muito mais do que alguns atos esporádicos de generosidade; supõe a criação de uma nova mentalidade que pense em termos de comunidade, de prioridade da vida de todos sobre a apropriação dos bens por parte de alguns” .
Jesus convida a acumular tesouros para Deus. E só é rico para Deus quem ajunta os valores que o Mestre ensinou. Certa vez ouvi que uma pessoa era tão pobre, tão pobre, que a única coisa que tinha era muito dinheiro. A felicidade plena que desejamos ter em Deus, na eternidade, começa aqui, na alegria de construir com os outros algo de bom e duradouro. Porque, na lógica de Deus, pobre mesmo é quem não consegue partilhar. Pe. Paulo Bazaglia, ssp 


Desejos

Essa bolsinha  de pulso para levar o crochê é um dos meus bibelôs.


Vou me esquematizar e fazer uma maior para o tricô.

Aqui o pap.

O forro, uni o molde no recorte e cortei inteiro, com o tecido dobrado na linha do fundo. Fiz em algodão cru, fininho. Não tirei foto….

Separei o molde, cortando a 4cm do final. Pode ser qualquer medida. Cortei o tecido do fundo, dobrado no meio, portanto, com 8 cm + 1 de costura.



Uni as partes da frente e passei uma costura zig zag sobre a costura, para unir e enfeitar.


Costurei as laterais retas da frente e do forro.

Coloquei um dentro da outra, para costurar as laterais curvas de cada lado. Revirei, pespontei e uni as alças.


Preguei meu botão de identificação

Alfineteiro/Pincushion

Faz tempo. Uns 5 anos… Que eu quero fazer um alfineteiro com uma xícara de chá do aparelho inglês que foi da Tia Lourdes. Ela me deu tudo quando se desfez da sua casa e foi morar aqui: Solar Ville Garaude
Como está com a asa quebrada eu guardei no armarinho dos projetos futuros….

Ela é linda.


Um círculo da medida do pires. O tecido, está aqui faz tempo também.


Alinhavar como para um fuxico.


Fui na lixeirinhas da máquina e peguei uns fiapinhos, linhas, mantinha, para uma caminha pro fuxico não afundar. Fixei com cola quente.


A manta deve ser colocada aos poucos, para arredondar o máximo possível para não deixar rugas em cima. Fixei também com cola quente.


O pires, para compor o conjunto.


Colei a xícara no pires com cola quente. Como a asinha está quebrada, fixei dois botões com meu nome, para personalizar e proteger.  Voilá!  Fazendo,pose com minha garrafinha de restinhos de linhas e outros fiapos.

Assinar digitalmente

O peticionamento eletrônico é um caminho sem volta.

E, resguardadas as reclamações do início da implantação do sistema nos tribunais, as dificuldades com os trâmites que somos obrigados a seguir, ele pode ser considerado como um verdadeiro sucesso.

Enquanto engatinhávamos nos seus caminhos, fomos descobrindo as possibilidades da utilização da assinatura digital em outras searas e, realmente, essa é a melhor das notícias, haja vista que podemos mandar uma petição, um recibo, um documento, por e-mail, assinado digitalmente, que prescinde de qualquer outra confirmação, autenticação.

Ao ser impresso, ele é o documento verdadeiro, por excelência.

Então, como eu aprendi com a Dra. Sonia Chaves, fiz aqui, um passo-a-passo desse procedimento, para que possam seguir e utilizar a certificação digital, fora do peticionamento eletrônico.

1- Certifique-se que seu token esteja conectado ao computador.

2-Depois de pronto, o documento no word, ele deve ser salvo em pdf, utilizando-se os programas que já estão acostumados.

pap 1

3- Abrir salvar como, escolher pdf e dar o enter.

pap2

4- Se já tiver salvo antes, em pdf esta petição, pode-se renomear, ou salvar, substituíndo a anterior.

pap 3

5- Necessário ter o Adobe XI instalado. O documento já abrirá em PDF. SE não abrir com essa lateral direita, clique no Fill & Sing que a aba abrirá.

pap4

6- Clique no Fill & Sing e o menu abrirá com a possibilidade de work whit certificates.

pap5

7- Novamente a aba trará outra relação. Clicar em Sing whit certificates.

pap7

8- Abrirá essa informação. Clicar em Drag New Signature Rectangle. Quando clicar nessa informação, aparecerá apenas um sinal, um asterisco, que deverá ser levado ao final da petição, ou na lateral direita e aberto com o mouse até que fique do tamanho necessário para caber a assinatura.

pap8

9- Ficará um retângulo azul, como  pode ser visto abaixo, sobre a linha do rodapé. Assim que clicar ele desaparecerá, para abrir a próxima tela.

pap9

10- Após abrir essa tela, clicar em sing.

pap10

11- Abrirá novamente, a tela para salvar o documento, já assinado digitalmente. Pode clicar em salvar.

pap11

12- Como ele já existe, pode clicar em sim, para substituir o pdf sem assinatura, para o novo, já assinado, mantendo-se o mesmo nome.

pap12

13- Abrirá o campo para introduzir o Pin. Abaixo, já pode ser visto a assinatura digital que se  confirmará com o pin.

pap13

14- Com a confirmação do pin, o documento já estará pronto, podendo ser enviado por e-mail, etc.

15- Voilá!

pap14